Crônica
fm.simoes@terra.com.br
  • Poemas
  • Crônicas
  • Biografia
  • Fotos
  • Prêmios
  • Produção e Administração

     

    OS HOMENS E O MUNDO


    Amigos e amigas hoje eu decidi fazer mais uma atualização do meu site pessoal escrevendo algo em cima desta ainda mais triste realidade que estamos vivendo, vendo acontecer, percebendo os efeitos danosos provocados por seres humanos que parece se transformar em monstros e nos imporem uma vida que nos aproxima do inferno na terra.

    Por mais que o mundo seja grande, como disse um grande poeta, está a se tornar pequeno e a cada tempo nos colocar perto de um perigo cada dia mais iminente pelas ameaças de guerra, pelos horrores do terrorismo sem rosto, pelo preconceito tão condenado por nós que defendemos o bem, porém que vem se impondo por todos os lados.

    Falamos constantemente em paz talvez para aliviar nossa consciência ou para nos afastarmos do real que cada dia nos assusta mais ainda. Nosso país tenta se soerguer de tanta lama, tanta corrupção, tanta violência, tanta injustiça, tanto preconceito que não conseguem mais esconder.

    Nosso mundo por outro lado vê ameaças de violência e preconceito por todos os lados, uma lástima. Aliás, vê e pratica esta é a grande realidade do momento. Para os crentes eu poderia dizer embora com receio de ser mal interpretado que esta realidade nos traz à mente a terrível impressão de que Deus teria nos esquecido ou nos abandonado temporariamente.

    Ocorre que sendo eu católico, portanto crente em Deus, com aquela interpretação seria o mesmo que achar ser o mal que está dominando o bem e sufocando a paz, o amor, a felicidade, etc. Não, eu não posso admitir isto, prefiro achar que nós mesmos, os seres humanos, é que estamos nos desencaminhando e mergulhando na ilusão que pode nos destruir quando a fé nos abandona.

    O poema que acompanha este texto eu escrevi no ano de 2010, porém expressa uma realidade como a que estamos vivendo agora. Não sei para onde caminhamos embora tenha ainda a esperança de que o bem acordará de um imenso pesadelo e poderá se impor ao mal que hoje se alastra por nossas vidas.

    Eu os convido a ler o poema abaixo que, como já disse, escrevi há uns sete anos atrás. Seu título é o mesmo deste texto. Obrigado por vossa atenção.

    Francisco Simões (Fevereiro/2017).



    OS HOMENS E O MUNDO

    Disse o poeta que “o mundo é grande, muito grande”,
    O poeta estava certo, muito certo,
    Já os homens que habitam este mundo
    Como são pequenos, tão pequenos,
    Não respeitam o mundo, desprezam a vida,
    Destroem a natureza, abominam a beleza,
    Convivem com a morte numa diária lida,
    Seguindo cada um sua estrada,
    Mas não se satisfazem em morrer, não,
    Matam por qualquer preço, ou por nada.
    Transformam a vida numa droga
    Porque respiram droga, porque vendem droga,
    Eles próprios se transformam em droga,
    Pois a vida não lhes significa nada, é uma droga.
    Vejo homens, pequenos, verdadeiros párias,
    Escurras de uma escória de violência,
    Andam em manadas, atacam em manadas,
    Mas se estão sós, não significam nada, nada.

    Realmente o mundo é grande, muito grande,
    Talvez para caberem tantos seres pequenos,
    Na honradez, na dignidade, na probidade,
    Na ética, na autoridade patética do poder
    Exercido no direito que impõe a mentira,
    Na impostura que perdura enquanto a ilusão
    Nada cura, só dissemina a doença
    De uma crença em homens pequenos,
    Muito pequenos, mas que destroem o mundo.


    ..............................................................
    Por Francisco Simões
    Em Fevereiro / 2010.
    ...................................................