Crônica
fm.simoes@terra.com.br
  • Poemas
  • Crônicas
  • Biografia
  • Fotos
  • Prêmios
  • Produção e Administração



    VOLTANDO DA CATARATA


    Gente amiga eu tive que me ausentar por certo tempo, pois decidi enfim eliminar o que eu chamava de “meu fog londrino”. Já tinha há alguns anos catarata nos dois olhos, sendo que no direito descobri estar com apenas 10% de visão.

    Quando a gente alcança certa idade dizem que temos apesar dos pesares algumas vantagens como ser atendido na frente de outras pessoas mais novas, etc. Esquecem, todavia que com a carga dos anos embora possamos parecer a todos estar muito bem costumamos herdar coisas para as quais jamais contribuímos em nossa vida.

    Um bom amigo português, síndico do meu prédio em Ipanema, Rio de Janeiro, sabendo que minha visão estava a ser prejudicada indicou-me um médico oftalmologista nosso vizinho que é top de linha como se costuma dizer quando o profissional junta competência com muitas outras qualidades.

    Para vocês terem ideia, o referido médico possui várias salas, muitos equipamentos, além de um centro cirúrgico completo ocupando partes de três andares de um prédio em Ipanema e apenas a quatro quarteirões do meu apartamento. Refiro-me ao Instituto Oftalmológico do Dr. Rogério Horta.

    Antes adiei minha consulta com ele face à ansiedade que acaba gerando desculpas bobas como se eu estivesse com medo de enfrentar o tal procedimento da retirada da catarata. Muitos amigos e amigas além de minhas irmãs sempre me deram a maior força deixando claro que a referida cirurgia é uma coisa simples, sem dor, sem cortes, e o Dr. Rogério Horta usa laser no correr do procedimento. Um grande avanço tecnológico sem dúvida alguma.

    Após tanto ouvir sobre o assunto eu me decidi a ir à consulta ao Dr. Rogério. Não foi apenas uma consulta, não, mas após ele identificar o grau de minhas cataratas nos dois olhos sugeriu que eu fizesse de imediato todos os exames a cargo dele. Entramos no consultório por volta das 17 horas e saímos cerca de 20:30 horas.

    O resultado foram páginas e mais páginas descrevendo meus olhos completamente além de fotos dos mesmos identificando cada parte de ambos os olhos. Afinal a lente importada a ser produzida corrigiria como corrigiu o meu astigmatismo para longe. Eram lentes para o meu caso.

    Fiquei fascinado com tanto zelo, tanta técnica, além da simpatia, da cordialidade tanto do médico como de todos os integrantes de sua grande equipe em todos os níveis sem distinção. Enquanto eu me submetia à cirurgia de catarata no Centro Cirúrgico no terceiro andar minha esposa Marlene assistia a tudo ao vivo numa tv no quarto andar.

    Para surpresa minha e de muita gente, com certeza, no dia eu me mantive sempre calmo e minha pressão jamais se alterou. Logo após o procedimento da catarata levaram-me para onde estava Marlene e vi então aquela cena “deliciosa”. Havia uma grande mesa com guloseimas variadas e eu, mesmo sem estar com fome, mas querendo comemorar o sucesso da retirada de uma de minhas cataratas tratei de lanchar o que valeu por um almoço.

    Ao chegar a casa por volta das 11:30 horas da manhã acabamos almoçando lá pelas 14 horas. Depois começou a “via-crúcis” dos colírios. Eram muitos e aplicados em horários variados. Ainda hoje quando escrevo este texto faço uso de três colírios e já se passaram mais de dez dias. O uso correto dos colírios é fundamental.

    Outra coisa que me deixou fascinado foi a atenção do ilustre Dr. Rogério Horta ao me telefonar no sábado à noite, aqui para Cabo Frio, querendo saber se fizéramos boa viagem na parte da tarde e como eu estava. Fez várias perguntas procurando se informar de vários detalhes relacionados com o pós-operatório, digamos assim.

    Em verdade aprendi que uma coisa é ver o mundo numa eterna neblina quando atingimos certa idade e outra é encarar este problema e buscar a solução. Mesmo tendo retirado a catarata do olho direito agora há que esperar o melhor momento para repetir o procedimento no outro olho.

    Resolvi contar-lhes minha experiência não só para alguns tomarem conhecimento de que retirar a catarata realmente não é nenhum bicho de sete cabeças como também para fazer justiça a este excelente profissional que é o Dr. Rogério Horta. Quem quiser conhece-lo melhor pode visitar o seu site em iodrrh@gmail.com

    Estou de volta aos nossos contatos até quando terei novamente que me retirar para me submeter ao mesmo procedimento, porém no olho esquerdo. Agradeço de coração todo o apoio que recebi de tantos amigos e amigas, além de minhas irmãs, aqui pela internet e por telefone.

    Francisco Simões (30/Agosto/2015)