Crônica
fm.simoes@terra.com.br
  • Poemas
  • Crônicas
  • Biografia
  • Fotos
  • Prêmios
  • Produção e Administração

     

    “DÁ NOJO, DÁ NOJO DE POLÍTICO”


    Uso no título deste artigo as palavras de Zeca Pagodinho ditas ao microfone de uma de nossas emissoras de TV. Pergunto: por que a mídia ao divulgar toda a tragédia ocorrida desta vez em Caxias e em Xerém, não levou ao ar o que ele disse?

    Quem quiser conferir o que digo aqui, por favor, entre por este link, pois leva somente 31 segundos: http://terratv.terra.com.br/Noticias/Brasil/4194-451190/Zeca-Pagodinho-apos-inundacoes-da-nojo-de-politico.htm

    Antes de acontecerem as chuvas que arrasaram aquele Município já as TVs mostravam o desleixo da Administração local deixando toneladas de lixo espalhado por diversas ruas, invadindo asfalto, casas, etc. O serviço de limpeza urbana não funcionou por alguns dias daí aquelas cenas dantescas a que assistimos.

    Como disseram alguns comentaristas até parecia uma espécie de “vingança” contra o povo, monstruosa e injustificável, do ex Prefeito que não conseguiu se reeleger. Pois que aquela gente jamais vote naquele senhor nem para síndico de condomínio. Deveria ser aberto um processo sério para apurar corretamente as razões daquela desídia.

    Vejam que isto foi mostrado dois dias antes de ocorrerem as chuvas descomunais naquele Município. Posteriormente com a tromba d’água a situação ganhou dimensões de uma catástrofe, na qual muitos perderam suas casas, outros morreram, uma ponte partiu obrigando as pessoas a andarem, na lama, cerca de uma hora para irem de um lado a outro de Caxias.

    Ontem ouvi na rádio CBN que o governador iria fazer, com seu secretariado, no local da tragédia, reunião para “traçar planos de ação”. Seria mesmo cômico se não fosse tão trágico e desumano aquilo tudo.

    Lembram da imensa tragédia ocorrida nas serras há dois anos, aqui no nosso Estado do Rio de Janeiro? Quantos morreram, quantos perderam suas casas? E depois o que se viu foram verbas a serem desviadas que levaram alguns políticos a serem cassados, mas não todos, e muito do que foi doado também não chegando a quem precisava desesperadamente de ajuda.

    Até hoje o quadro nas serras atingidas há dois anos mudou muito pouco como tenho visto em reportagens dos jornais televisivos. Caso volte a chover forte por lá nem quero imaginar as conseqüências. E os nossos políticos a fazer discursos, a tirarem sempre proveito da desgraça alheia. O nosso Zeca Pagodinho tem total razão no que declarou publicamente. Parabéns a ele.

    Considerando que o verão está apenas começando e que certamente outras chuvas ainda virão quantas “reuniões de secretariado” terá o governo deste Estado que promover tentando minimizar o que não fez esse tempo todo pelo nosso povo?

    Depois da denúncia do escândalo envolvendo nomes de políticos dessa administração com empresas como a tal de Delta, coisa séria demais, há algum tempo atrás, ouvi na mídia que nosso governador não pretende se lançar candidato para a reeleição em 2014? Por quê?

    Preocupação com averiguações de denúncias? Ele não quer se expor novamente como candidato pois os da oposição a ele certamente iriam procurar puxar novamente a ponta daquele novelo de denúncias? E por que até hoje o assunto foi aparentemente “esquecido”, ou engavetado, como já fazia certo “Engavetador Geral de República” há alguns anos?

    Lamentável, para alguns fica sempre mais fácil não criticar políticos e lançar a culpa no comportamento nem sempre civilizado de parte de nossa gente, é verdade, mas a base dessas tragédias, meus amigos e amigas, passam bem longe disto visto que já se comprovava, muito antes das chuvas acontecerem, pelas toneladas de lixo espalhadas por toda a cidade, especialmente em Caxias, mostradas nas televisões.

    Nos meus 76 anos, após algumas participações políticas, não como candidato, mas como eleitor, e muitas decepções não só concordo com Zeca Pagodinho como reafirmo o que ele declarou apoiando o seu desabafo. Aguardemos o que vem pela frente.


    Francisco Simões. (Janeiro/2013)