Crônica
fm.simoes@terra.com.br
  • Poemas
  • Crônicas
  • Biografia
  • Fotos
  • Prêmios
  • Produção e Administração

     

    A ELEIÇÃO FRANCESA


    Gente amiga, o resultado do primeiro turno da eleição francesa não me surpreendeu e a previsão no segundo turno é de uma derrota ainda maior do pozudo Sr. Sarkozy, que por sinal, tentando dar uma virada, anda a fazer discursos que agradem a turma da extrema direita, segundo os noticiários. Pois é.

    Permitam-me fazer um rápido retrospecto da situação européia do Euro logo que surgiram notícias do debacle da economia daquele continente. Algumas pessoas andaram fazendo circular nesta internet um documento apócrifo, com autoria duvidosa, e afirmações absurdas, sem sentido, até meio sem conhecimento profundo da causa que criticavam.

    Desciam a lenha, com destaque, nos então governos socialistas, especialmente da Espanha, Portugal e Grécia. Eles nada diziam sobre a economia italiana que naufragava nas mãos de um déspota de direita, com muitos processos nas costas, inclusive creio que de pedofilia e corrupção. Enfim este acabou expurgado legalmente. Muito menos falavam na economia francesa que também não estava bem a ponto de haver muitas manifestações populares contra o então Presidente Sarkozy, também de centro direita. Nem vou dizer nada do que se passa igualmente do outro lado do Canal com a economia inglesa. Aguardem.

    A alguns poucos amigos bem chegados eu avisei que aquilo era um monte de acusações mentirosas, sem base alguma, e que se as Economias de Portugal, Espanha e Grécia não estavam bem (e não estavam mesmo) eram situações que já vinham de mais distante quando lá estiveram também governos de centro direita. Mas isso foi propositadamente omitido no documento apócrifo que alguns ajudaram a repassar até com certo entusiasmo.

    Hoje não tenho ilusão sobre esquerda e direita na política, aqui ou alhures, pois este tipo de convicção ou ideologia já ficou no passado, podem crer. Poucos ainda resistem e tentam nos convencer do contrário. Mas no caso dos países que ficaram em realce no documento apócrifo, aqui repassado várias vezes, logo entraram governos de centro direita, que ainda lá estão e os seus respectivos povos já foram diversas vezes às ruas mostrar sua insatisfação com decisões sempre contra o povo.

    É sempre assim, eles se locupletam, gastam mais do que arrecadam (vide Brasil), cometem abusos de toda ordem e quando o balão estoura tentam “corrigir” sempre no lombo do povo. Que fizeram os tais governantes de centro-direita de Portugal, Espanha e Grécia? Começaram a cortar pensões (aposentadorias), a aumentar impostos, reduzir salários e outras barbaridades que por aqui também já fizeram antes. Eles fazem a “festa” e no fim é o povo quem paga.

    A provável derrota do Sr. Sarkozy no segundo turno, todavia, também não vai ser de comemorar muito para os franceses, pois as promessas do eventual candidato vencedor, o socialista, podem afundar ainda mais a economia da França. Ou seja, se correr o bicho pega, se parar o bicho come. Nós conhecemos bem essa história.

    Outras economias pela Europa do Euro andam “caladas”, mas se sabe, por noticiários isentos de lá que recebo, que estão claudicantes e podem ser arrastadas dependendo igualmente do que até acontecer nas próximas eleições americanas.

    Não se iludam, amigas e amigos, não tomo partido de ninguém, mas o fato evidente é que se nos EUA os republicanos (o mesmo time do desastroso Bush) vierem a derrotar o Sr. Obama, vai ser pior para o mundo inteiro. Quem tiver fé que reze, quem não tiver preconceito que torça pelo Obama, pois do contrário se existem problemas também na economia americana, embora alguns fanáticos não a queiram admitir, o governo voltando para os republicanos é melhor tratarmos de mudar de planeta, amigos e amigas.

    Vamos aguardar.

    Um abraço amigo do nada profeta, apenas realista,
    Francisco Simões.