Crônica
fm.simoes@terra.com.br
  • Poemas
  • Crônicas
  • Biografia
  • Fotos
  • Prêmios
  • Produção e Administração

     

    QUE É ISSO MINHA GENTE?


    Amigos, confesso que não ando com a menor disposição de falar sobre política, ou políticos, muito menos sobre as próximas eleições. Todavia, não resisti a fazer alguns rápidos comentários hoje sobre mensagens que andam a me enviar e que tentam abordar uma oposição ao governo atual, ou à sua candidata, D. Dilma. O pior é a incompetência com que certas pessoas montam suas argumentações, ou então inventam (para não dizer que mentem descaradamente) fatos e situações.

    Vamos deixar bem claro que eu não votarei na candidata do PT, em hipótese alguma. Entendida minha premissa? O que eu quero é defender a verdade esteja ela de que lado estiver. Esta bandeira eu empunharei sempre.

    Gente, para nos firmarmos como oposição e termos o respeito dos que nos vão ler e quem sabe trazê-los para o nosso lado, para não votar em Dilma, temos que jamais mentir, jamais descer ao nível dos que criticamos, jamais usar o argumento de que para ser oposição vale tudo, até mentir, mentir e mais mentir. Estou fora.

    Outro dia recebi uma mensagem vinda pela lista de alguém na qual, em tom alarmante e exagerado, o autor fazia um alerta em que afirmava já estarem preparados “decretos” que, “no caso da vitória da candidata do PT, tornariam permitido que todos os sem teto pudessem invadir e se apossar de apartamentos ou casas, eventualmente desocupadas, mesmo nas capitais.”

    Isto é tão absurdo, que qualquer pessoa de bom senso, nem precisa ser muito inteligente, não só não acreditará na assertiva da mensagem como ainda a ridicularizará. Foi o que eu fiz. Escrevi a quem me remeteu aquilo e perguntei se acreditava em Papai Noel!! Desculpem a expressão, mas quanta estupidez.

    Em outra mensagem alguém alertava para não votarem na Dilma ou aqui seria definitivamente implantado um “regime socialista”. Ué, se não o foi nos oito anos do Lula, porque o seria agora? Que regime socialista é este em que os banqueiros lucram hoje mais do que no governo de FHC e anteriores? Que regime socialista é este em que o desnível social continua alarmante e a tal distribuição de renda é demagogia? Que regime socialista é este em que o capital continua governando?

    Alguém acredita que Lula não estará por trás da candidatura de sua ex Ministra? Alguém acredita que Lula não vai querer que tudo corra bem nos próximos anos de forma que ele possa voltar como candidato, dentro de quatro anos? Amigos, podem xingar o Lula de tudo, e eu bato palmas e solto foguetes, mas de burro, por favor, não o chamem, isto ele não é. Não o subestimem.

    E o “autor” da mensagem em questão, relacionou vários países que, na visão dele, tiveram ou ainda têm regime “socialista” e vivem sob ditadura, numa economia fechada, etc e tal. E ele afirma que – “o socialismo, no mundo, já matou cerca de 100 milhões de pessoas”!! -- Será que ele considerou todas as guerras já havidas como provocadas por socialistas?? Será que computou todas as ditaduras sangrentas acontecidas através do tempo como sendo decorrentes só de regimes “socialistas”? Ele nunca ouviu falar de direita ou extrema direita, de fascismo, terrorismo e afins? Onde obteve tal informação? Só defendo a verdade, pois nem socialista sou, nem nunca fui.

    Ele chegou a citar a China, que neste caso é comunista mesmo, não socialista como o disse, todavia que caminha para ser a maior economia do mundo. Um caso raro de uma espécie de comunismo, que condena e mata sem maiores provas, com capitalismo aberto a viver de abraços e beijos com o governo americano faz anos. Claro que isso o “autor” não referiu, pois.

    Dizer que o Chavez, da Venezuela, é um ditador de esquerda, socialista, é ser bem mal informado ou mentiroso. Chavez é um ditador, sim, demagogo, porém de direita, golpista a brincar de esquerda. Nem o Lula acredita nisso, só o bajula por querer se manter como uma espécie de líder deste lado da América, metido a conciliador, todavia enfiando os pés pelas mãos e tropeçando na gramática.

    Mais, querendo fechar seus argumentos com um “toque de emoção”, o autor escreveu: ... “logo se constatará que escapamos por pouco se não tivesse ocorrido o golpe de '64. Como não se conseguiu eliminar todos os que pretendiam implantar no Brasil um regime totalitário socialista, muitos escaparam e estão muito bem colocados nos 3 Poderes...”

    Repararam que ele escreveu “não se conseguiu eliminar”... sinônimo de torturar, matar, tudo sem julgamento, como o fizeram aqui durante a ditadura? Naquele tempo pensar diferente era ser “comunista”, era o tempo do “Brasil, ame-o (como nós queremos) ou deixe-o”. Barbaridade, e esta é uma das oposições que temos agora a querer defender nossos interesses? E se julgam democratas, e falam em liberdade!! Vade retro.

    E assim chovem mensagens na internet escritas por pessoas ora desinformadas, ora mal preparadas, incompetentes, sim, prejudicando o que poderia ser um trabalho da autêntica oposição. Pelo menos eventualmente me chega algo feito com certa inteligência onde alguém diz “Quero escolher hoje o Brasil de 2030”.

    A autora diz que juntos poderemos construir o país do futuro, um país melhor, sem corrupção, investindo muito mais na educação, na saúde, etc. Estou com você, Joana. Não a conheço, mas você vai receber esta crônica, sim?

    Todavia para que alcancemos este objetivo, que também é meu e de muitos brasileiros, por favor, Joana, me indique um (ou uma) candidato(a) a Presidente que realmente seja sério, de caráter íntegro, honrado, incorruptível, que tenha competência já comprovada, em qualquer área, ou alguns candidatos com estas mesmas qualificações para irmos mudando o Congresso que aí está. Ficarei feliz se você conseguir, cara Joana. Esperarei. Eu vivo no Rio de Janeiro.

    No mais tudo que me enviarem, a partir de agora, contendo mentiras, denúncias sem provas, acusações absurdas, palavrões, redação em nível grosseiro, chulo, que nada acrescente à oposição construtiva que pretendemos apoiar, nem esquentarei a cabeça, irá direto para o lixo. Falei e disse, e sei que está difícil, muito difícil.


    Francisco Simões. (Agosto / 2010)